Museu Mineiro realiza live com João Perdigão, biógrafo de Alberto da Veiga Guignard

No dia 26 de abril, segunda-feira, às 20h, o Museu Mineiro, espaço cultural integrante do Circuito Liberdade, promove a segunda edição do “Museu Mineiro Convida”, programa de lives que traz sempre discussões sobre arte, história e sobre a produção artística mineira. O evento será transmitido através do Instagram do Museu Mineiro (@museumineiro).

Nesta edição, Rafael Perpétuo, coordenador do Museu, mediará a conversa com o pesquisador João Perdigão, que lançou, em 2020, o livro Balões, Vida e Tempo de Guignard: Novos Caminhos para as Artes em Minas e no Brasil. O livro, lançado pela Editora Autêntica, é uma biografia do aclamado pintor modernista Alberto da Veiga Guignard.

João Perdigão é jornalista, pesquisador, escritor e editor independente, além de especialista em Arte e Contemporaneidade pela Escola Guignard (UEMG). Seu primeiro livro, Tropecassino: um jogo em fantasia (2009), em coautoria com Euler Corradi, relata o processo de escrita de O rei da roleta: a incrível vida de Joaquim Rolla (Casa da Palavra, 2012), biografia do empresário mineiro que levantou o Cassino da Urca. Logo depois, escreveu Viaduto Santa Tereza (Conceito, 2016), livro sobre o berço do hip hop de Belo Horizonte e um dos principais cartões postais da capital mineira. Desde 2010, coedita a revista colaborativa A Zica, que a cada edição pauta temas provocativos e divulga artistas gráficos contemporâneos. Entre os principais temas de sua pesquisa atual destacam-se a história das artes gráficas, da fotografia e da arte urbana.

Alberto da Veiga Guignard

Alberto da Veiga Guignard nasceu em Nova Friburgo, RJ, em 1896 e faleceu em Belo Horizonte, em 1962. O artista estudou na Europa e, na década de 1930, atuou intensamente no Rio de Janeiro. Em 1944, convidado pelo então prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek, criou a Escola Guignard, pertencente ao Governo do Estado.

Guignard foi responsável por mudar as perspectivas da criação artística em Minas Gerais. É considerado um dos maiores pintores e desenhistas brasileiros do século XX. Encantado pela paisagem das cidades históricas de Minas, especialmente Ouro Preto, mitificou o tema em uma série de pinturas e desenhos que o projetou nacional e internacionalmente.

MUSEU MINEIRO

Localizado na Avenida João Pinheiro, corredor de acesso à Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, o Museu Mineiro está instalado em um edifício eclético construído em fins do século XIX pela Comissão Construtora da Nova Capital. Tendo sido construída para servir de residência para o Secretário da Agricultura, a edificação serviu de sede para o Senado Mineiro, foi a Pagadoria Geral do Estado até se tornar a sede do Museu Mineiro.

O Museu Mineiro foi inaugurado em 1982 e reúne em seu acervo um conjunto bastante diversificado de objetos referentes à história e à produção cultural e artística mineiras. Nas salas de exposição são exibidas obras de artistas consagrados, tais como: Manoel da Costa Ataíde, Yara Tupynambá, Amílcar de Castro, Jeanne Milde, Inimá de Paula, Lótus Lobo, Celso Renato, Sara Ávila, Guignard, Maria Helena Andrés, Di Cavalcanti etc.

Atualmente, o Museu exibe a exposição de longa duração “Minas das Artes, Histórias Gerais”, onde o visitante tem a oportunidade de conhecer uma vasta coleção de arte sacra, datada dos séculos XVIII e XIX, além de preciosidades do acervo, como a bandeira da Inconfidência Mineira, os manuscritos originais da obra “Tutaméia” de Guimarães Rosa, o retrato de Aleijadinho e a coleção de santos de devoção popular.

0
0
0
s2smodern
powered by social2s