Situado no Norte de Minas Gerais, o Museu da Cachaça, se trata de um grande centro cultural e de convivência. Entre suas propostas de atuação estão a difusão do conhecimento sobre a produção da cachaça como bem patrimonial da comunidade local e do Estado, assim como a promoção e a preservação de todo o patrimônio da cadeia produtiva desse artigo genuinamente brasileiro.

Os ambientes do Museu da Cachaça foram criados com base em dois conceitos. O primeiro é o socioeconômico, no qual a cachaça artesanal está retratada em aspectos de produção, circulação e consumo, gerando uma visão antropológica do produto. O segundo é sociocultural, que mostra o significado da bebida como fruto do imaginário coletivo, unindo grupos sociais por meio de seu uso.

Além de conhecer os mais diferentes tipos de cachaça, o visitante pode conferir todas as etapas da produção - o plantio e cultivo da cana de açúcar, a produção artesanal da cachaça de alambique e sua comercialização no Brasil e no mundo. O acervo reúne painéis fotográficos, áudios, vídeos e objetos. O museu conta ainda com restaurante e área para shows e eventos.

 

Histórico

Inaugurado em 20 de dezembro de 2012, o museu é administrado pela Unimontes, por meio da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino Superior do Norte de Minas (Fadenor). O espaço projetado pela arquiteta Jô Vasconcelos está instalado em um terreno de 13.120m², sendo 2.200 m² de área construída, 1.250m² de área expositiva, 2.500m² de espaço de convivência e 950m² de espaços administrativos. A proposta museológica foi distribuída entre as nove salas – Hall de Entrada, Sala dos Canaviais, Sala das Garrafas, Sala do Engenho, Sala do Moinho, Sala do Aroma, Sala Multiuso, Sala de Terra Batida, Sala de Depoimentos.

 

Contatos

Mais informações pelo telefone (38) 3841-4778.

 

Leia mais sobre a Superintendência de Museus e Artes Visuais