A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) levou, no mês de dezembro, seis profissionais da imprensa para conhecer a rota dos diamantes, incluindo parques estaduais e os municípios de Diamantina e Serro. O tour, denominado “Uma vivência pela região dos Diamantes”, apresentou um dos principais atrativos do estado a jornalistas, críticos e influencers digitais de São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

 

A viagem, conhecida como press trip, foi estruturada para mostrar as riquezas da região para o público jovem, com idade na faixa entre 24 e 35 anos. A ideia foi proporcionar aos profissionais o contato com a riqueza cultural e turística da região de Diamantina, cidade que conserva culturas, paisagens naturais e arquiteturas históricas e está entre as mais conhecidas e visitadas do país – e que ainda congrega o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, desde 1999, concedido pela Unesco.

Durante cinco dias, o roteiro incluiu mais de 20 visitas a atrativos turísticos. A equipe composta pela jornalista Flávia Pinho, da Azul Magazine, pelos fotógrafos Ariel Martini e Gabriel Resende, e pelos influencers digitais Antonela Bicalho, do “O mundo visto do meu jeito”, e Robson Franzói, de “Um Viajante”, visitou diversas localidades de São Gonçalo do Rio Preto, Diamantina e Serro.

No Parque Estadual do Rio Preto, eles fizeram uma imersão na natureza, passando pelas trilhas para as praias de rio e cachoeiras, incluindo a “Cachoeira do Crioulo”, “Sempre Viva”, “Forquilha”, “Poço de Areia” e “Mirantes”. A “Trilha do Cerrado”, o “Poço do Veado”, o “Rio Lento”, o “Váu Bravo” e o “Váu das Éguas” também estiveram entre os cenários visitados. No turismo de aventura, os profissionais conheceram, também, o Parque Estadual do Biribiri, área que abriga várias nascentes e cursos d'água: o Rio Biribiri, que moveu as turbinas da hidrelétrica geradora da força motriz da fábrica de tecidos; o Rio Pinheiros e diversos córregos, sendo os mais famosos o “Sentinela” e o “Cristais”.

Para Flávia Pinho, jornalista da Azul Magazine, Diamantina tem belezas naturais e riquezas culturais inesgotáveis. “A região dos diamantes é um patrimônio cultural e natural simbólico de Minas Gerais. A sensação é de que ainda há muito a conhecer: a gastronomia, a música, a arquitetura, por isso, volto com um gosto de quero mais”, disse.

No city tour pelo centro histórico de Diamantina, o grupo visitou a igrejas históricas do Carmo, o Museu do Diamante, Museu da Tipografia, Chafariz da Câmara, Chafariz do Rosário, a antiga Casa da Intendência, o Passadiço da Glória e as casas de Juscelino Kubitscheck e Chica da Silva, além do Mercado Velho. No último dia do tour, eles tiveram uma vivência na Vinícola Quinta Dalva, e encerraram o percurso no grande evento comemorativo de 20 anos de Patrimônio Mundial de Diamantina.

A iniciativa foi organizada pela Secult, em parceria com o Circuito Turístico dos Diamantes, Prefeitura Municipal de Diamantina, Prefeitura Municipal de Serro, Prefeitura Municipal de São Gonçalo do Rio Preto e o Parque Estadual do Rio Preto.

As belezas da região dos diamantes

Diamantina e seu entorno conservam casarios coloniais com inspiração barroca, construções históricas e igrejas seculares, que carregam mistérios que fazem parte da cultura popular dos diamantinenses. A musicalidade, com suas serenatas e Vesperatas, também faz de Diamantina um dos destinos mais singulares em riquezas culturais e turísticas para visitação no estado.