ferreira-gullar-foto

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC), por meio da Superintendência de Publicações e do Suplemento Literário (SPSL), divulga resultado do Edital 2013 do ‘Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura’. Em sua 6ª Edição, o Prêmio, que tem o objetivo de estimular a produção literária mineira e brasileira, distribui R$ 212 mil (duzentos e doze mil reais).

Na edição 2013, na categoria Conjunto da Obra, o homenageado do ano é o escritor Ferreira Gullar, que receberá prêmio no valor de R$ 120 mil (cento e vinte mil reais). Essa categoria tem por objetivo reconhecer o trabalho de um escritor vivo que tenha contribuído de forma significativa para a produção e divulgação da literatura brasileira, no país e no exterior, inclusive através do desenvolvimento de novas pesquisas.

Nas categorias Ficção (romance) e Poesia, que estimulam a produção de obras inéditas nestes estilos literários, e oferecem prêmios de R$25 mil cada, os respectivos ganhadores são Nilton Cezar Tridapalli e Rogério Luz.

Na categoria Jovem Escritor Mineiro – BDMG Cultural, que tem por objetivo descobrir novos talentos mineiros ou residentes no estado, a bolsa mensal, durante seis meses, para pesquisa e edição de textos literários, no valor de R$7.000,00, totalizando 42.000,00, é de Gustavo Fechus Monteiro.

A Secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, destaca a relevância deste Prêmio para o Estado e para a formação de cidadãos leitores. “A literatura e a leitura são práticas indispensáveis à formação educativa e humanística das pessoas. Este Prêmio acrescenta o desafio da excelência na prática literária e reconhece verdadeiros talentos.”, esclarece.

O Superintendente de Publicações e do Suplemento Literário, Jaime Prado Gouvêa, endossa a afirmativa da Secretária e acrescenta: “o Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura é, além de uma maneira bem sucedida de valorizar a atividade da leitura e escrita dos brasileiros, uma oportunidade de projetar talentos que, talvez, sem este prêmio, não teriam os devidos impulsos para suas carreiras, como ocorreu a alguns premiados que, com a vitória no concurso, conseguiram assinar contratos com grandes editoras e iniciar brilhantes trajetórias como escritores”.

CONJUNTO DA OBRA

Ferreira Gullar

José Ribamar Ferreira, mais conhecido como Ferreira Gullar, nasceu em São Luís, no dia 10 de setembro de 1930. Poeta, crítico de arte, biógrafo, tradutor, memorialista e ensaísta brasileiro, Gullar é também um dos fundadores da corrente do neoconcretismo e da revista maranhense A Ilha, responsável por difundir o pós modernismo naquele estado. Seu primeiro soneto tinha o título de “O trabalho", publicado no jornal "O Combate", de São Luís.

No ano de 1951 muda-se para o Rio de Janeiro (RJ). Participa, em 1956, da I Exposição Nacional de Arte Concreta, no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Em janeiro do ano seguinte, o MAM carioca recebe a citada exposição.

Após o Ato Institucional nº 5 é preso, em companhia de Paulo Francis, Caetano Veloso e Gilberto Gil. Parte então para exílio, morando primeiro em Moscou (Rússia), depois em Santiago (Chile), Lima (Peru) e Buenos Aires (Argentina). Durante esse período, colabora com o semanário "O Pasquim", sob o pseudônimo de Frederico Marques. Seu pai falece em São Luís (MA).

Em 1974, por unanimidade, é absolvido no Supremo Tribunal Federal, da acusação. Retorna, aos poucos, às atividades de crítico, poeta e jornalista.

A Rede Globo exibe o seu especial "Insensato coração", em 1983. Em 1992, foi nomeado diretor do Instituto Brasileiro de Arte e Cultura (IBAC), onde permaneceu até 1995. Novamente, a Rede Globo exibe a minissérie "As noivas de Copacabana", escrita em parceria com Dias Gomes e Marcílio Moraes.

Ganhou como homenagem uma exposição aberta, "Ferreira Gullar 70 anos", em setembro de 2000, no Museu de Arte Moderna do Rio, para marcar seu aniversário.

Em 2002, Gullar foi indicado ao Prêmio Nobel de Literatura por nove professores titulares de universidades de Brasil, Portugal e Estados Unidos.

E no ano de 2010, a edição do Prêmio Luís de Camões, o mais importante prêmio literário da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, criado em conjunto pelos governos do Brasil e de Portugal, prestigiou o poeta. O Prêmio rendeu ao escritor 100 mil euros.

FICÇÃO (ROMANCE)

Nilton Cezar Tridapalli

 

Contemplado na categoria Ficção (romance), com ‘O beijo de Schiller’, Tridapalli nasceu em Curitiba, no ano de 1974. Graduou-se em Letras na Universidade Federal do Paraná, especializou-se em Leitura de Múltiplas Linguagens (PUC-PR) e fez o mestrado em Estudos Literários (UFPR). Cursou, durante um ano, Cinema e Vídeo da Faculdade de Artes do Paraná (FAP).

Trabalhou como professor de Literatura por mais de 10 anos. Foi coordenador do Departamento de Arte no Colégio Medianeira, instituição de ensino jesuíta, em Curitiba. Dentre as várias atividades, dirige o Projeto Sujeitos Leitores – série de entrevistas em vídeo com grandes leitores de Curitiba e de fora dela –, edita a revista de Educação Mediação, e é curador da Festa Literária do Medianeira (FLIM). Escreve para o blog Educação e Mídia, do Jornal Gazeta do Povo, e participa de eventos literários pelo Paraná, como o Sesi Zoom Cultural, Autores & Ideias e Semana Literária do SESC. Já trabalhou como tradutor do Italiano para o Português e tem escrito, eventualmente, resenhas e contos em alguns periódicos.

Em 2011, lançou seu primeiro romance, ‘Pequena biografia de desejos’.

POESIA

Rogério Luz

O premiado da categoria Poesia, com a obra ‘Os nomes’, nasceu no Rio de Janeiro, em 1936. Rogério é professor universitário aposentado (ECO-UFRJ, 1998), formado em filosofia pela UFRJ e doutor em comunicação pela Universidade Católica de Louvain, Bélgica, lecionou no Curso de Filosofia da UFRJ (1961-63), na Universidade Federal da Paraíba (1969-1971), na ECO-UFRJ (1972-1998), na Faculdade de Comunicação Social (2003-2004) da UERJ e no Instituto de Artes (2006-2008) da mesma universidade. É poeta, ensaísta e artista plástico. Co-fundador e coordenador do Espaço Winnicott – estudos em psicanálise e cultura (1999 -2008). 

Como artista plástico, participou de inúmeras coletivas no Brasil e no exterior e realizou mostras individuais no Museu de Arte Moderna do Rio, no Museu Nacional de Belas Artes e no Paço Imperial, Rio de Janeiro.

Publicou artigos e livros na área de estética, psicanálise e crítica de arte. Obteve menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos do Paraná da Secretaria de Estado da Cultura do Estado, com coletânea de contos, em 1994. Menção honrosa também no Prêmio Fundação Casa de Rui Barbosa, com ensaio sobre o romancista Cornélio Penna, em 2005. Recebeu Bolsa de Complementação de Obra (romance, 1997, e poesia, 2008) da Fundação Biblioteca Nacional do Ministério da Cultura. Venceu também o primeiro prêmio no Concurso de Poesia da Universidade Federal de Goiás, 2010.

Publicou as seguintes coletâneas de poemas: ‘Diverso entre contrários’, ‘Correio Sentimental’, ‘Escritas, As Palavras’.

JOVEM ESCRITOR MINEIRO – BDMG CULTURAL

Gustavo Fechus Monteiro

O vencedor na categoria Jovem Escritor Mineiro – BDMG Cultural, com a obra ‘O narrador’, tem 24 anos e é natural de Pouso Alegre (MG). Graduado em Letras na Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), é professor de Literatura e Língua Portuguesa em curso pré-vestibular e no Instituto Federal de Minas Gerais, campus Ouro Preto. Especialista em Revisão de Textos, atualmente desenvolve pesquisa em Linguística. Em 2009, venceu o Prêmio Luiz Vilela, com o conto ‘Meu nome é qualquer um’. Em 2010, em parceria com sua mãe, a escritora Gislaine Buosi, publicou ‘Primeira Pessoa’. Formado em violino no Conservatório Estadual de Música Juscelino Kubitscheck de Oliveira, conquistou o prêmio BDMG Jovem Músico, edição 2013.

COMISSÃO JULGADORA

Doze nomes do universo das letras formaram a comissão julgadora do Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura. Cada categoria foi avaliada por três especialistas.

Conjunto da obra: Wilson Figueiredo, Francisco Alvim e Maria Antonieta Cunha

Categoria Ficção (Romance): Paulo Werneck, Marcelo Miranda, Jeter Neves

Categoria Poesia: Mário Alex Rosa, Carlos Machado e Iacyr Anderson

Categoria Jovem Escritor Mineiro – BDMG Cultural: Fabíola Farias, Letícia Malardi e Márcio Sampaio.

Sobre o Prêmio

O Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura foi lançado em dezembro de 2007, para promover e divulgar a literatura brasileira, reconhecendo grandes nomes nacionais e abrindo espaço para os jovens escritores mineiros. O prêmio é dividido em quatro categorias: I - Conjunto da Obra (homenagem a um escritor brasileiro em atividade), II - Poesia, III - Ficção e IV - Jovem Escritor Mineiro. Nas categorias Poesia e Ficção, o Prêmio é aberto a escritores iniciantes e/ou profissionais, maiores de 18 anos, nascidos e residentes em território nacional. Já a categoria Jovem Escritor Mineiro é restrita a pessoas com idade entre 18 e 25 anos, nascidas em Minas Gerais ou residentes no Estado há pelo menos cinco anos.

Os vencedores anteriores

Na categoria Conjunto da Obra, prêmio dado a escritores com notória contribuição ao desenvolvimento da literatura brasileira, já foram homenageados os escritores e críticos literários Antonio Candido de Mello e Souza, na edição de lançamento em 2007; Sérgio Sant`Anna (2008); Luis Fernando Veríssimo (2009); Silviano Santiago (2010); Affonso Ávila (2011); e Rui Mourão, no ano passado.

Na poesia, Érico Nogueira e Rodrigo Guimarães Silva ganharam em 2008; Eduardo Jorge de Oliveira venceu em 2009; Bruno Brum em 2010; Antonio de Pádua Fernandes Bueno, em 2011; e Otto Leopoldo Winck faturou a última edição.

Já a premiação da categoria ficção, que se alterna a cada ano entre conto e romance, teve os seguintes vencedores: Carlos Felipe (2008); Tércia Montenegro (2010) e Francisco Maciel (2012) no gênero conto; Reni Adriano Batista (2009) e Jeter Jaci Neves (2011) no gênero Romance.

Por fim, os contemplados na categoria Jovens Escritores Mineiros foram: Carlos Brito e Mello (2008); Maria Zilda Santos Freitas (2009); Rafael Guimarães Abras Oliveira (2010); André Oliveira Zambaldi (2011); Alex Sens Fuziy, na última edição.