Após quatro meses de apoio emergencial aos profissionais da Cultura e do Turismo de Minas Gerais, o projeto #ARteSalva encerra a etapa de doações. Ao longo desse período, a rede de solidariedade, liderada pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult), em parceria com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Sedese) e o Sesc em Minas, por meio do Programa Mesa Brasil, beneficiou 332 mil pessoas, com a distribuição de alimentos e cestas básicas, e auxiliando um total de 495 entidades.

Desde seu lançamento, em 1º de junho, o #ARteSalva também contou com a ajuda de mais de 60 parceiros da sociedade civil e da iniciativa privada para angariar e distribuir doações. Nesse período, o projeto arrecadou 500 toneladas de cestas básicas, 140 toneladas de alimentos, 15 mil máscaras, 1386 livros, além de promover 23 lives solidárias, com a participação de artistas de diferentes gêneros musicais e atrações artísticas para crianças. Artistas consagrados abraçaram a causa do #ARtesalva, como Elza Soares, Zeca Baleiro e Chico César. Os depoimentos de apoio e inserções da campanha #ARteSalva de valorização à arte e aos artistas em emissoras de televisão impactaram 16,7 milhões de lares e 19,9 milhões de telespectadores.

depoimentos artistas

Mas o #ARteSalva foi além dessa rede solidária. Com um olhar apurado para as políticas públicas de fomento, por meio do projeto, a Secult publicou três editais emergenciais em auxílio aos setores da Cultura e do Turismo. Ao todo, foram destinados R$ 6 milhões em recursos diretos do Fundo Estadual de Cultura (FEC). Entre junho e agosto, foram divulgados os editais #ARteSalva – Fundo Estadual de Cultura (R$ 2,5 milhões), #ARteSalva – Museu Seguro (R$ 2 milhões) e #ARteSalva – Exibe Minas (R$ 1,5 milhão). A iniciativa também promoveu oito cursos de capacitação e 15 lives informativas, destinadas às demandas dos profissionais da cadeia produtiva da Cultura e do Turismo em Minas Gerais.

Com a finalização da etapa de doações do #ARteSalva, ações destinadas às políticas públicas de fomento, incentivo, formação e capacitação, serão intensificadas por meio da operacionalização da lei de emergência cultural Aldir Blanc como destaca o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira. “Nossos esforços estão focados na operacionalização da Lei Aldir Blanc, em simplificar os processos, estruturar as políticas públicas, principalmente para o interior e conseguir atender o maior número de solicitações possíveis. Já temos mais de oito mil cadastros para o recebimento do auxílio emergencial. É o momento de planejar a forma mais democrática e acessível para utilizar os recursos destinados, via Lei Aldir Blanc, a Minas Gerais, que são em torno de R$ 295 milhões”, reforça o secretário.

A mobilização feita pelos diversos segmentos da sociedade faz com que Minas Gerais lidere o número de profissionais cadastrados. A Lei Aldir Blanc prevê três linhas de ações emergenciais, cujos beneficiários dividem-se em artistas e espaços artísticos. Para além desta iniciativa, a lei prevê ainda linhas de créditos para fomento em atividades culturais.

Canto da Rua Emergencial
Foi, também, com uma importante parceria com a Arquidiocese de Belo Horizonte que a Secult iniciou o projeto Canto da Rua Emergencial. Essa ação do #ARteSalva prestou atendimento às pessoas em situação de rua da capital na Serraria Souza Pinto, espaço administrado pela Fundação Clóvis Salgado (FCS), instituição vinculada à Secult.

No período de 13 de junho a 31 de agosto, o projeto realizou 31.778 atendimentos. Além disso, foram distribuídos 28.800 cafés da manhã, 115.818 marmitex, 50.600 lanches, 1.490 Kits para o inverno e 166 encaminhamentos para hospedagens. A iniciativa também disponibilizou serviços de atendimento básico à saúde e 2.438 atendimentos socioassistenciais.

Também por meio do #ARteSalva, foi inaugurado, em 3 de agosto, o Palco #ARteSalva, uma iniciativa teste para a retomada das atividades culturais, respeitando todos os protocolos de distanciamento social.

E o #ARteSalva Quarteirão Eletrônico, também no Palco #ARteSalva, fomentou a cena eletrônica de BH. Entre 12 e 19 de agosto, DJ’s do Coletivo Quarteirão Eletrônico gravaram sets especiais para serem exibidos no programa Coletânea, da Rede Minas, atração destinada aos mais variados estilos musicais.

Mais detalhes sobre o #ARteSalva podem ser conferidos AQUI.

imagem: Paulo Lacerda