A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) e a Fundação Nacional de Artes (Funarte) intensificam o diálogo e as parcerias. O presidente da Funarte, Luciano Silva, realizou, durante a semana, uma série de visitas a espaços culturais administrados ou vinculados à Secult, como a Fundação de Arte de Ouro Preto (Faop), a Fundação Clóvis Salgado (FCS), a Empresa Mineira de Comunicação (EMC) e a Serraria Souza Pinto.

Na quarta-feira (29/7), Luciano Silva conheceu a estrutura da Fundação de Arte de Ouro Preto (Faop), onde foi recebido pela presidente da instituição, Julia Mitraud. Com mais de meio século de história, a Faop atua em ações de conservação, restauração, fazeres tradicionais e da arte contemporânea em vários suportes e linguagens, consolidando sua capacidade de formação, educação e transformação social.

 Foto - Filipe Barboza /Faop

Espaço cultural que completou 50 anos em 2020, a Fundação Clóvis Salgado (FCS), também entrou no roteiro de visitas de Luciano Silva. O presidente da Funarte visitou, na quinta-feira (30/7) a instituição. Vinculada à Secult, a FCS administra o Palácio das Artes, a CâmeraSete – Casa da Fotografia de Minas Gerais e a Serraria Souza Pinto. Durante o trajeto, Luciano Silva foi acompanhado por Eliane Parreiras, que preside a FCS na atual gestão.

Foto - Paulo Lacerda /FCSPara o secretário de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, essa aproximação entre Secult e Funarte sinaliza um bom momento para fortalecer as políticas públicas para a cultura no estado. “Mesmo nesse momento de pandemia, é importante dialogarmos e firmamos parcerias com outras instituições para que, quando tudo isso passar, possamos voltar mais fortes, com a certeza de que iremos realizar um trabalho sólido, com mais recursos e maior atuação”, pontua Leônidas. 

O presidente da Funarte destaca que essa agenda de visita a Minas tem a proposta de ampliar a atuação da entidade. De acordo com Luciano Silva, o objetivo “é fazer da Funarte uma entidade realmente de âmbito nacional. Queremos promover uma reestruturação descentralizada, agregando e ampliando possibilidades por meio de parcerias com instituições renomadas. Contar com o apoio e a parceira da Secult será fundamental para alcançar essa meta”, diz.

Durante a visita por Minas, Luciano Silva, acompanhado de sua equipe e do secretário Leônidas Oliveira, conheceu uma das iniciativas da Secult em prol das pessoas em situação de rua de Belo Horizonte durante a pandemia de Covid-19 (Coronavírus). Trata-se do projeto Canto da Rua Emergencial, ação articulada entre a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) e a Arquidiocese de Belo Horizonte, que integra o movimento #ARtesalva, um pacote amplo que engloba ações de fomento, capacitação, formação e doações para profissionais da Cultura e Turismo que sentiram fortemente os efeitos da pandemia. 

Saiba mais sobre o Arte Salva 

 Foto - Paulo Lacerda /FCS   

Em funcionamento desde 13 de junho, o local tem oferecido alguns serviços básicos como alimentação, higiene pessoal e serviços jurídicos para garantir dignidade àqueles que estão em situação mais vulnerável. Na ocasião, foi lançado, na sexta-feira (31/7), o projeto Palco Arte Salva, que tem a proposta de oferecer um espaço para lives de artistas de rua e outros que circulam pela Serraria Souza Pinto ao longo do período de atendimento emergencial.

Funarte MG e a “Revitalização da Rua Januária”
A regional Minas Gerais da Funarte também fez parte do roteiro de Luciano Silva. Na sede do espaço, que fica na região Central de BH, próxima à Praça da Estação, além de conhecer a estrutura da unidade mineira, o presidente, acompanhado do secretário de Cultura e Turismo, inaugurou, na área externa do espaço, um mural artístico com grafites inspirados em obras da artista plástica Yara Tupynambá. A ação faz parte do projeto “Revitalização da Rua Januária”, endereço da Funarte-MG.

Com curadoria de Ataíde Miranda, as pinturas retratam temas relacionados à preservação do meio ambiente, as belezas naturais do estado, e são uma homenagem à trajetória de Yara. Pintora, gravadora, desenhista e muralista, ela realiza, no segundo semestre deste ano, uma exposição de suas obras na galeria da Funarte-MG. As intervenções artísticas foram assinadas por Ataíde Miranda, Clara Valente, André Gonzaga, Rogério Fernandes, Gabriel Dias e Sthefany Oliveira, convidados pela própria Funarte-MG.

O projeto “Revitalização da Rua Januária” visa à ressignificação do muro externo da instituição e da passarela que dá acesso às principais ruas do bairro Floresta, onde está localizada a Representação Regional da Funarte. Além da pintura de grafites, o projeto pretende também melhorar as condições de acesso ao complexo cultural. Para isso, serão realizadas ações como limpeza e melhorias na iluminação da rua Januária e passarela, e reforma da bilheteria.

 Foto - Paulo Lacerda /FCS

De acordo com o secretário Leônidas Oliveira, essa ação de revitalização é de grande relevância para a própria cidade, bem como para a Secult. Para ele, a iniciativa permitirá que a Secult conte com mais um parceiro para suas ações de formação. “Ter esse espaço revitalizado nos permitirá pensar na formação artística que é desenvolvida pela Fundação Clóvis Salgado. A Funarte poderá disponibilizar seu espaço para que aulas de dança, música e teatro sejam realizadas aqui também”.

Já o presidente da Funarte destacou que a iniciativa pretende atrair ainda mais público para a regional mineira, oferecendo uma diversidade de programação em um ambiente ainda mais agradável. “Queremos que o espaço revitalizado seja abraçado por Belo Horizonte e que se torne um palco para as mais variadas manifestações artísticas”, finalizou.

Ainda no roteiro de visitas, o presidente da Funarte conheceu a estrutura da Empresa Mineira de Comunicação (EMC) e um dos prédios do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG), localizado no Circuito Cultural Praça da Liberdade.

Imagens: Filipe Barboza /Faop e Paulo Lacerda /FCS