Leitura é sempre uma excelente alternativa quando se está em casa. E, dessa vez, em cumprimento às necessárias medidas de isolamento social para a contenção da pandemia do Coronavírus, a Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais oferece uma ótima opção os leitores mergulharem no universo da literatura. Nesta quinta-feira (2/4), o Dia Internacional do Livro Infantil será comemorado nas redes sociais da Biblioteca com programação especial, às 16h30.

Em parceria com o Festival Redemoinho de Histórias, a Biblioteca fará uma transmissão ao vivo (live) pelo Instagram com seis leituras de histórias para o público infantil. A atração será transmitida de forma simultânea também pelas redes sociais do Festival. De acordo com a diretora do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult), Alessandra Gino, essa iniciativa é uma grande oportunidade de divulgar o trabalho dos artistas e promover novas ações de estímulo à leitura.

“A parceria com o Festival Redemoinho de Histórias é fundamental para a Biblioteca, principalmente no momento de isolamento social. Podemos oferecer ao público infantil um conteúdo lúdico, divertido e que desperta o interesse pelo universo da Literatura. A iniciativa é, também, uma forma de celebrar o Dia Internacional do Livro Infantil, reforçando a importância da data para a formação de novos leitores”, comenta Alessandra Gino.

As lives serão compostas por conteúdos diversos, passando por produções lúdicas e que despertam o interesse dos pequenos, até obras que abordam, de forma didática, porém divertida, aspectos identitários e culturais da formação do povo brasileiro.

Na programação, as leituras serão feitas por artistas mineiros. “Asa de Papel”, de Marcelo Xavier, será lida por Pierre André; “Coração do Mar”, de Carol Fernandes, lida por Magna Oliveira; “O dragão que era galinha d' Angola”, de Mariana Massarani, lida por Lupri, “O Minhoco Apaixonado”, de Alessandra Pontes Roscoe, lida por Juliana Anselmo; “Xangô e os Camundongos”, do livro Erinlê, o caçador e outros cantos africanos, de Adilson Martins, lida por Chica Reis; e “Txopai e Itôha”, de Kanátyo Pataxó, lida por Amanda Jardim.

Festival Redemoinho de Histórias

Com agenda de espetáculos cancelada devido à pandemia de Coronavírus, seis contadores de história de Belo Horizonte resolveram unir forças e criaram o Festival Redemoinho de Histórias. O evento é gratuito e acontece por meio de lives no Instagram. Quem quiser apoiar o projeto pode participar de uma “vaquinha” on-line para valorizar o trabalho desses artistas. O link da vaquinha pode ser acessado aqui.