A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult), publicou, nesta quinta-feira (6/2), o Edital Nº 01/2020 para a seleção pública de entidade sem fins lucrativos para realizar a gestão da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, do Centro de Cultura Presidente Itamar Franco e de áreas como a Sala Minas Gerais.

O escopo do edital contempla o desenvolvimento de ações culturais para a sociedade voltadas para a divulgação das músicas sinfônica e de concerto por meio da gestão, operação e manutenção da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais e da Sala Minas Gerais. Além disso, a entidade vencedora do processo será responsável, também, pela gestão, operação e manutenção das áreas comuns do Centro de Cultura e do estacionamento, bem como desenvolvimento, implantação, realização e comercialização de serviços, eventos e atividades de ocupação cultural do complexo.

Os proponentes poderão se inscrever entre 28 de fevereiro e 5 de março. O certame deve selecionar uma entidade sem fins lucrativos para celebrar Contrato de Gestão com vigência de até 43 meses, a partir de junho de 2020.

De acordo com o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Marcelo Matte, o edital irá adequar a oferta da política pública ao modelo jurídico vigente, com o objetivo de “dar continuidade às iniciativas de fomento, formação de público e democratização da música erudita, permitindo à Filarmônica manter um corpo artístico de excelência, difundindo amplamente a cultura produzida em Minas Gerais”, destaca.

Entre outras atividades, o programa de trabalho inclui a difusão da música sinfônica e de concerto; trabalhos voltados à formação de público; o fomento de novos talentos; e o desenvolvimento de ações que revertam a desigualdade sociocultural do público, com a oferta de concertos gratuitos.

Filarmônica de Minas

A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais foi fundada em 2008 e tornou-se referência no Brasil e no mundo por sua excelência artística e vigorosa programação. As apresentações regulares acontecem na Sala Minas Gerais, em Belo Horizonte, em séries de assinatura - Allegro, Vivace, Presto, Veloce e Fora de Série – com a interpretação de grandes obras do repertório sinfônico.

Tendo a aproximação com novos ouvintes como um de seus nortes artísticos, a Orquestra também traz à cidade uma sólida programação gratuita ou a preços populares – são os Concertos para a Juventude, os Clássicos na Praça, os Concertos de Câmara e os concertos de encerramento do Festival Tinta Fresca e do Laboratório de Regência. Para as crianças e adolescentes, a Filarmônica dedica os Concertos Didáticos, em que mostra os primeiros passos para apreciar a música erudita. Além disso, desde 2008, mais de 50 cidades receberam a Orquestra, de Norte a Sul, passando também pelas regiões Leste, Alto Paranaíba, Central e do Triângulo.

De 2008 até 2018, a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais recebeu mais 1 milhão de espectadores, realizou cerca de 800 concertos e interpretou aproximadamente 975 obras de grandes nomes da música mundial. Em 10 anos de existência, a orquestra promoveu 104 concertos em turnês estaduais, 38 concertos em turnês nacionais e 5 concertos em turnê internacional. Além disso, foram produzidos mais 160 webfilmes, treze deles com audiodescrição, livros, DVDs didáticos, e sete CDs.

Já em 2019, a Filarmônica realizou 100 apresentações na Sala Minas Gerais, em praças da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) e no interior do Estado, com cerca de 122 mil espectadores. Já os concertos didáticos foram assistidos por 7,4 mil alunos.