O Observatório do Turismo de Minas Gerais acaba de lançar, em seu site, o Boletim Aeroportos 2019. O informe traz dados referentes ao fluxo de turistas e de aeronaves nos 27 aeroportos mineiros cadastrados na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) durante 2019. As informações foram compiladas pela Superintendência de Políticas do Turismo (SPT) da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult), de acordo com os números divulgados pela Anac e com os informes elaborados mensalmente, que também estão disponíveis no mesmo endereço eletrônico. A partir desta edição, além dos boletins mensais, a SPT dará sequência aos relatórios anuais.

De acordo com o Boletim Aeroportos 2019, e levando em consideração o número de pousos e decolagens em Minas Gerais, o fluxo de passageiros aumentou 4% em relação a 2018 – do total de cerca de 12,9 milhões de passageiros, 12,4 milhões foram de destinos nacionais e aproximadamente 428 mil vieram de voos internacionais. O alcance registrado pela Anac colocou Minas Gerais em 4º lugar no ranking nacional de fluxo de turistas – à frente do estado ficaram São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, em 1º, 2º e 3º lugares, respectivamente.

O levantamento, na opinião do secretário de Estado de Cultura e Turismo, Marcelo Matte, é importante para nortear as políticas públicas da pasta em relação à promoção de Minas Gerais como um dos principais destinos turísticos do país e do turismo como uma alavanca para a economia criativa do Estado. “Acreditamos e defendemos que o turismo e a cultura são a grande oportunidade de Minas Gerais ampliar sua matriz econômica. Precisamos nos estruturar para ampliar essa enorme cadeia produtiva, que é capaz de trazer recursos, gerar empregos e melhorar a vida da população”, explicou o secretário.

Em relação aos voos nacionais, de acordo com o relatório de fluxo de passageiros, o estado que mais trouxe viajantes a Minas Gerais foi São Paulo (44%), seguido do Rio de Janeiro (10,4%). Os aeroportos mineiros estiveram em 3º lugar no fluxo de turistas no estado, com índice de 9,6%. Bahia e Distrito Federal tiveram taxas de, respectivamente, 9,4% e 7,8% relativas à emissão de turistas para municípios de Minas Gerais.

Já considerando os voos internacionais, os países que lideram a emissão de passageiros, com base no número de pousos em aeroportos mineiros, foram Portugal (34,8%), Argentina (29,4%) e Panamá (19,6%).

Fluxo de aeronaves

O fluxo de aeronaves em Minas Gerais diminuiu 2% em relação a 2018 – no entanto, o estado ficou em 3º lugar no ranking nacional, atrás apenas de Rio de Janeiro e São Paulo, 2º e 1º lugares, respectivamente. O registro foi de 125 mil aviões nos aeroportos mineiros – sendo 122.581 nacionais e 2.420 internacionais.

Em relação aos voos nacionais, os principais estados emissores de aeronaves, com base no número de pousos, foram São Paulo (37,6%), Minas Gerais (16,6%) e Rio de Janeiro (10,9%). Já com referência aos internacionais, os principais países emissores, também considerados os pousos, foram Argentina (34,3%), Portugal (26,8%) e Panamá (25,9%).

De cara nova

O Observatório do Turismo de Minas Gerais, coordenado pela Secult, é uma rede de pesquisa que tem como principal finalidade monitorar o desenvolvimento do turismo no estado por meio do levantamento de pesquisas, dados, números e elaboração de indicadores.

Neste mês, o Observatório inaugura seu novo site na Internet. Ele apresenta, de forma clara e objetiva, pesquisas relacionadas a economia do turismo em Minas, pesquisa de demanda turística, movimentação e ocupação hoteleira. Também traz indicadores relacionados à movimentação de visitantes e receita turística em Minas Geras, número de visitantes estrangeiros e movimentação de aeroportos. Além disso, o site também compila boletins periodicamente, com os principais dados do turismo do estado. Acesse: http://www.observatorioturismo.mg.gov.br/

Foto: Aeroporto Internacioal de Belo Horizonte (Divulgação BH Airport)