Durante o feriado municipal de 15 de agosto, quando é celebrada a Assunção de Nossa Senhora, os equipamentos culturais da Fundação Clóvis Salgado funcionarão normalmente. Nas galerias de artes visuais do Palácio das Artes, o público pode conferir diferentes propostas artísticas com trabalhos produzidos em suportes variados. Já no Cine Humberto Mauro, o destaque fica por conta da estreia da mostra Henri-Georges Clouzot, retrospectiva que reúne produções do mestre do suspense francês.

Na Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard, segue aberta a exposição Narrativas em Processo – Livros de Artistas na Coleção Itaú Cultural. Na PQNA Galeria Pedro Moraleida, o público terá a última oportunidade para conferir a exposição Recorte – Acervo Fotos FCS, com trabalhos dos mineiros Assis Horta, Cyro de Almeida, Daniel Moreira e Pedro Motta.

Já na Galeria Genesco Murta, destaque para a exposição Ecos, do artista Rodrigo Arruda. A Galeria Arlinda Corrêa Lima recebe trabalhos de Renata Cruz, na mostra Para sempre e um dia, e a Galeria Mari’Stella Tristão é ocupada com a exposição Leite Derramado, de Lorena D’arc. As três exposições foram contempladas na edição 2019 do Edital de Ocupação de Artes Visuais da Fundação Clóvis Salgado.

E na CâmeraSete – Casa da Fotografia de Minas Gerais, estão em exposição os trabalhos Impulsos Imitativos, de Élcio Miazaki, e Arquipélago, de Victor Galvão, também selecionados no Edital de Ocupação de Fotografia da FCS.

A partir de quinta-feira, 15 de agosto, o Cine Humberto Mauro passa a exibir a mostra Henri-Georges Clouzot, uma retrospectiva que reúne quatro longas-metragens e dois documentários sobre a vida e a obra do mestre francês do suspense, Henri-Georges Clouzot. Todas as sessões são gratuitas, e os ingressos devem ser retirados 30 minutos antes, na bilheteria do Cine.

Por determinação do governo do Estado, não haverá expediente para o setor administrativo da Fundação Clóvis Salgado em 15 e 16 de agosto.

Programação detalhada

Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard – Narrativas em Processo – Livros de Artistas na Coleção Itaú Cultural - 10 de julho a 29 de setembro, de terça a sábado, das 9h30 às 21h; domingos, das 17h às 21h; Entrada gratuita

PQNA Galeria Pedro Moraleida – Exposição Recorte – Acervo Fotos FCS, de 19 de junho a 18 de agosto, de terça a sábado, das 9h30 às 21h; domingos, das 17h às 21h; Entrada gratuita

Galeria Genesco Murta – Exposição Ecos, de Rodrigo Arruda, 28 de junho a 8 de setembro, de terça a sábado, das 9h30 às 21h; domingos, das 17h às 21h; Entrada gratuita

Galeria Arlinda Corrêa Lima – Exposição Para sempre e um dia, de Lorenza Cruz, 28 de junho a 8 de setembro, de terça a sábado, das 9h30 às 21h; domingos, das 17h às 21h; Entrada gratuita

Galeria Mari’Stella Tristão – Exposição Leite Derramado, de Lorena D’arc, 28 de junho a 8 de setembro, de terça a sábado, das 9h30 às 21h; domingos, das 17h às 21h; Entrada gratuita

CâmeraSete – Casa da Fotografia de Minas Gerais – Exposições Arquipélago, de Victor Galvão, e Impulsos Imitativos, de Élcio Miazaki, 6 de julho a 14 de setembro, terça a sábado, das 9h30 às 21h; domingos, das 17h às 21h

CINE HUMBERTO MAURO – Mostra Henri-Georges Clouzot

15/08 QUI

15h30 O Escândalo Clouzot, de Pierre-Henri Gibert (Le scandale Clouzot, FRA, 2017) | 14 anos | 60’

O filme retrata a carreira de Henri-Georges Clouzot, um famoso roteirista e diretor francês. Ele sofreu dificuldades em sua carreira que não o permitiram trabalhar até 1947. Quando Clouzot retornou, sua carreira tornou-se cada vez mais sólida com os lançamentos de "O Salário do Medo" e "As Diabólicas". Clouzot foi injustamente deixado de lado durante o movimento Nouvelle Vague, mas isso não apagou sua história como um dos mais importantes diretores franceses de todos os tempos.

17h HISTÓRIA PERMANENTE DO CINEMA | O Comboio do Medo, de William Friedkin (Sorcerer, EUA, 1977) | 12 anos | 120’| Sessão comentada por Fábio Feldman

Quatro marginais fogem de seus respectivos países e se refugiam em uma vila isolada do mundo em algum ponto da América do Sul, onde funciona uma petrolífera. Depois de uma explosão na usina de extração, eles veem uma chance de ganhar muito dinheiro aceitando transportar, em meio à mata selvagem e sobre montanhas rochosas, caixas de nitroglicerina - altamente instáveis e com vazamento - que serão utilizadas para explodir o poço e evitar uma tragédia maior. Refilmagem de O salário do medo, de Henri-Georges Clouzot.

20h O Salário do Medo, de Henri-Georges Clouzot (Le Salaire de la Peur, FRA, 1953) | DCP | 14 anos | 156’

Las Piedras é um vilarejo controlado pela Southern Oil Company (S.O.C.) que está tomado pela pobreza. Quando um incêndio é iniciado num poço de petróleo perto do lugar, o presidente da S.O.C emprega um grupo de homens para ir ao local de caminhão e prevenir novos acidentes. O verdadeiro problema surge quando obstáculos começam a aparecer, sendo o primeiro uma íngreme montanha.

16/08 SEX

13h15 CURTA NO ALMOÇO |

16h O Assassino Mora no 21, de Henri-Georges Clouzot (L'Assassin habite au 21, FRA, 1942) | DCP | 14 anos | 85’

Um assassino em série que deixa cartões de visita nos corpos de suas vítimas está a solta. Quando o Inspetor Wens (Pierre Fresnay), encarregado do caso, recebe uma pista que indica que o culpado está hospedado em uma pensão no número 21 da Avenida Junot, ele se hospeda lá disfarçado de pastor e acompanhado da mulher com quem está tendo um caso.

18h O Mistério de Picasso, de Henri-Georges Clouzot (Le mystère Picasso, FRA, 1956) | DCP | 16 anos | 78’

Em 1955 um famoso diretor convenceu um genial pintor a deixar-se observar no exercício de sua arte. Utilizando materiais especiais que proporcionam uma visão desobstruída, Pablo Picasso pinta sob as lentes atentas de Henry-Georges Cluzot. Picasso faz 20 telas para o filme e Cluzot acompanha a criação de cada uma, adaptando seu olhar cinematográfico ao trabalho do artista, um dos mais importantes do século XX.

20h O Inferno de Henri-Georges Clouzot, de Serge Bromberg; Ruxandra Medrea (L'Enfer d'Henri-Georges Clouzot, FRA, 2009) | 14 anos | 94’

Em 1964 Henri-Georges Clouzot iniciou as filmagens de seu novo longa. L’Enfer contava com Romy Schneider e Serge Reggiani no elenco, era uma das mais caras produções francesas da História e retratava um conturbado relacionamento afetado pelos delírios ciumentos do marido. Após algumas semanas de trabalho o ator principal ficou doente, Clouzot sofreu um ataque cardíaco e a produção foi interrompida. Quarenta anos mais tarde a viúva do diretor libera os registros da época para Serge Bromberg e Ruxandra Medrea.

17/08 SAB

16h CINECLUBE FRANCÓFONO | As Diabólicas, de Henri-Georges Clouzot (Les diaboliques, FRA, 1955) | DCP | 16 anos | 117’| Sessão comentada

Christina Delassalle (Vera Clouzot) é casada com o sádico Michel Delassalle (Paul Meurisse). Rigoroso diretor do colégio que a pertence, ele frequentemente a humilha, maltrata alunos e funcionários e é odiado por todos. Em uma improvável parceria, Christina e Nicole (Simone Signoret), amante de Michel, decidem matá-lo e na sequência jogam o cadáver na imunda piscina da escola. Uma limpeza acontece, mas nenhum vestígio do corpo é encontrado e o mistério leva as duas mulheres à loucura.

19h O Salário do Medo, de Henri-Georges Clouzot (Le Salaire de la Peur, FRA, 1953) | DCP | 14 anos | 156’

Las Piedras é um vilarejo controlado pela Southern Oil Company (S.O.C.) que está tomado pela pobreza. Quando um incêndio é iniciado num poço de petróleo perto do lugar, o presidente da S.O.C emprega um grupo de homens para ir ao local de caminhão e prevenir novos acidentes. O verdadeiro problema surge quando obstáculos começam a aparecer, sendo o primeiro uma íngreme montanha.

18/08 DOM

18h O Assassino Mora no 21, de Henri-Georges Clouzot (L'Assassin habite au 21, FRA, 1942) | DCP | 14 anos | 85’

Um assassino em série que deixa cartões de visita nos corpos de suas vítimas está a solta. Quando o Inspetor Wens (Pierre Fresnay), encarregado do caso, recebe uma pista que indica que o culpado está hospedado em uma pensão no número 21 da Avenida Junot, ele se hospeda lá disfarçado de pastor e acompanhado da mulher com quem está tendo um caso.

20h O Mistério de Picasso, de Henri-Georges Clouzot (Le mystère Picasso, FRA, 1956) | DCP | 16 anos | 78’

Em 1955 um famoso diretor convenceu um genial pintor a deixar-se observar no exercício de sua arte. Utilizando materiais especiais que proporcionam uma visão desobstruída, Pablo Picasso pinta sob as lentes atentas de Henry-Georges Cluzot. Picasso faz 20 telas para o filme e Cluzot acompanha a criação de cada uma, adaptando seu olhar cinematográfico ao trabalho do artista, um dos mais importantes do século XX.