Tudo pronto para mais uma edição do Fórum das Letras de Ouro Preto. O evento literário, que anualmente toma conta da cidade barroca com debates, exposições e apresentações artísticas voltadas para adultos e crianças, será realizado entre os dias 1º e 4 de novembro. Com o tema “Emergências: Literaturas e Outras Narrativas”, o encontro homenageará os poetas Guilherme Mansur e Paulo Leminski. Em 2018, a curadoria será assinada pela coordenadora Guiomar de Grammont em parceria com o Sesc. A realização do evento, cuja programação é inteiramente gratuita, é da Universidade Federal de Ouro Preto.

Foto: divulgação Fórum das Letras de Ouro Preto

Guiomar destaca que a realização do evento, este ano, é especialmente importante. “Estamos em um momento de emergências na história do Brasil, em que todos os nossos valores estão sendo colocados em xeque. Quem somos nós? O que queremos? Para onde vamos? Novamente, o Fórum da Letras coloca em discussão as grandes questões do presente, tais como democracia e memória, raça, gênero, territorialidade, futuro, patrimônio e urbanidade. O Fórum das Letras propõe, mais uma vez, como resposta a esses desafios, a radicalidade da poesia e das literaturas, no plural, porque compreendidas na diversidade dos grupos que se expressam através delas no tempo e no espaço. Nesse caso, as literaturas só podem ser pensadas articuladas com outras narrativas, que se apresentam como espaços de discussão e resistência, perante os desafios éticos e políticos que se desenham para o nosso tempo”, afirma.

De acordo com a gerente geral de Cultura do Sesc, Eliane Parreiras, ao se parceirizar com o Fórum das Letras, o Sesc busca humanizar e alimentar o pensamento sobre nossa realidade, promovendo também oportunidades de acesso a uma programação cultural múltipla, dinâmica e com atividades formativas e de reflexão sobre a nossa Cultura. “Além de proporcionar a continuidade de um projeto da relevância do Fórum das Letras, neste ano temos a alegria de enriquecer a nossa programação com as Edições Sesc São Paulo, que contribui com seu vasto e rico acervo e viabiliza a presença de importantes escritores da cena atual. Por meio de parcerias como esta, o Sesc acredita ser possível constituir uma forma de expansão de conhecimentos, práticas simbólicas e estéticas, de inclusão e integração social, de exercício da cidadania e de geração de renda e atividades econômicas”, disse.

HOMENAGEM

O ouro-pretano Guilherme Mansur é personagem de fundamental importância na história do Fórum das Letras. O tipoeta, como era chamado pelo concretista Haroldo de Campos, já participou de diversas edições do evento, com exposições, lançamento de livros e com a tradicional “Chuva de Poesia”. Recebe, agora, justa homenagem, ao lado do curitibano Paulo Leminski, falecido em 1989, de quem foi amigo pessoal. “Recebi a notícia desta homenagem com muita alegria, principalmente por estar ao lado de um poeta que sempre me foi muito caro e dono de uma obra que admiro tanto. A poesia, para mim, representa a única saída possível, principalmente em momentos duros como o que estamos vivendo”, afirma.

Neste sentido ele cita, como exemplo, o poema "ameixas / ame-as / ou deixe-as", feito por Paulo Leminski em contraposição ao slogan "Brasil, ame-o ou deixe-o", criado pelo governo militar, durante a ditadura. A obra faz parte da exposição “Silêncio Lascado - Guilherme Mansur & Paulo Leminski”, que integra o evento. “É curioso notar como a história se repete. Este poema foi escrito no período do AI-5. Agora estamos à volta com toda esta discussão a respeito do período militar. É lamentável a capacidade que as pessoas têm de se esquecer da brutalidade. A poesia serve como um antídoto para tudo isso, é a forma de te tirar deste lugar e te levar para outro”, reflete.

“Leminski foi um poeta de ‘dizeres tão calares’, em suas próprias palavras. Era rápido no gatilho, muito inspirado, dono de pérolas poéticas carregadas de erudição e coloquialismo. Foi também ensaísta, tradutor, letrista e músico. Esta exposição – na forma de “circuladô” de poesia – montada com cartazes lambe-lambe (aqueles dos anúncios de circo), agrupa doze poemas concisos – esta a marca dos autores”, explica a coordenadora, Guiomar de Grammont.

DEBATES

Oito mesas integram a programação do Fórum das Letras de Ouro Preto em 2018, com temas que vão dos desafios para a criação e manutenção de uma revista literária até as identidades de escrita. Os bate-papos serão sediados em dois espaços: Anexo do Museu da Inconfidência e Casa da Ópera – o mais antigo teatro das Américas ainda em funcionamento, que, pela primeira vez, receberá os debates principais.

Foto: secretário de Estado de Cultura Angelo Oswaldo/ Crédito: Euler Junior

No Anexo do Museu da Inconfidência será realizada, no dia 02 de novembro, a mesa “Patrimônio Colonial Latino-Americano”, com Percival Tirapeli, às 11h. O convidado apresentará sua extensa pesquisa, que resultou no livro homônimo, publicado pelas Edições Sesc SP, que abrange três séculos de arte e arquitetura colonial. A mesa será apresentada pela pesquisadora Imaculada Kangussu e mediada pelo secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo de Araújo Santos. Ao final da sessão, haverá sessão de autógrafos e visita guiada pelo centro histórico de Ouro Preto.

A mesa seguinte, “Literatura, Fantasia e Jogos”, tem início às 14h30 e contará com a presença de Ricardo Maciel, Julliano Mendes e Júnia Carvalho, sob mediação de Ângela Xavier. A programação do dia prossegue com a mesa “Desafios para criar e manter uma revista literária”, às 16h, com participação de Luciana Abdo, José Eduardo Gonçalves, Maria Esther Maciel, Maurício Meirelles e Cilza Bignotto. A mediação será feita por Marta Maia. Haverá o lançamento das Revistas Literárias Olímpio e à e homenagem ao escritor e jornalista Audálio Dantas, falecido este ano, que deu grande contribuição ao evento em anos anteriores.

No dia 03 de novembro, a primeira mesa será “Da criação à divulgação de Obras Literárias” (oferecida pelo Prêmio Oceanos), com Maria Esther Maciel, Isabel Lucas e Carla Madeira e mediação de Selma Caetano, às 11h. Em seguida, os poetas Adriana Versiani e Nicolas Behr farão leituras de poemas de Guilherme Mansur e Paulo Leminski, às 12h30, nos jardins do Anexo do Musei da Inconfidência.

Também acontecem mesas sobre três títulos das Edições Sesc SP, “A leitura, outra revolução e O leitor como metáfora”, com Cristiane Tavares e Sandra Medrano e mediação de Cilza Bignoto, na qual discutem e apontam caminhos de reflexão sobre a leitura na contemporaneidade, às 14h30; e “Espaço em obra: cidade, arte, arquitetura”, com Guilherme Wisnik e Julio Mariutti, sobre os desafios do urbanismo e as relações entre arte e arquitetura, seguido de sessão de autógrafos, às 16h30.

Na Casa da Ópera, as atrações serão as mesas "Identidade e território literário” (oferecida pelo Prêmio Oceanos), com Milton Hatoum e mediação de Isabel Lucas, no dia 02 de novembro, às 19h30; e “Escreviver”, com Conceição Evaristo e mediação de Dulce Maria Pereira, no dia 03 de novembro, às 20 horas. Mais cedo, no dia 03, alunos de Artes Cênicas da UFOP farão uma esquete de leituras dos textos de Conceição Evaristo, a partir das 19h.

EXPOSIÇÕES | PROGRAMAÇÃO PERMANENTE

Duas exposições integram a programação do Fórum das Letras, ambas sediadas na Casa dos Contos (Rua São José, 12 – Centro Histórico). São elas “Silêncio Lascado - Guilherme Mansur & Paulo Leminsky” e Exposição Literária do Sesc de Paulo Leminski. As mostras estarão abertas à visitação do público de 1º a 5 de novembro, das 10h às 22h.

LETRINHAS

Em 2018, o Fórum das Letrinhas chega em um formato diferente, com a chegada do BiblioSesc. A biblioteca volante do Sesc ficará estacionada entre os dias 2 e 4 de novembro, das 10h às 16h, no Largo do Cinema, disponibilizando para o público o acesso gratuito a centenas de títulos, entre clássicos da literatura, aventuras, ficções e histórias reais, apostando assim na formação de novos leitores. Durante os três dias, haverá também a oficina de Contação de Histórias com o Coletivo Calango.

PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA

A programação do Fórum das Letras engloba diversas atividades, colocando a literatura em diálogo com outras manifestações artísticas. No dia 1º (quinta-feira), a atração será a performance homenagem Tipoema: Movimento 7 - Mansur / Leminski. Nesta performance, os artistas Cláudio Santos, Leonardo Dutra e Fabiano Fonseca criam um sistema digital que alterna vídeos e fotos com uso da alavanca de uma prensa manual, no qual serão apresentados haicais de Guilherme Mansur e poemas de sua parceria com Paulo Leminski. A apresentação acontece a partir das 21h, no Glória Bistrô (Rua Alvarenga 703 – Bairro Cabeças).

No dia 2 (sexta-feira), será a vez de “Som silêncio: agora”, apresentada pelo Grupo de Estudos em Música Contemporânea da UFOP (GEMC), que executará a Conferência sobre Nada (tradução de Augusto de Campos) / in a landscape, de John Cage (1912-1992) e wu li, de Hans-Joachim Koellreutter (1915-2005). A performance será às 21h30, na Casa da Ópera.

No dia 3 (sábado), a Família de Rua sobre ao palco da Casa da Ópera com o Duelo de MC’s, movimento que nasceu há cerca de 10 anos em Belo Horizonte é considerado, hoje, um dos mais importantes encontros nacionais de artistas e amantes da cultura do rap e do hip-hop. A apresentação tem início às 21h30 e trará referências da literatura nacional para os palcos.

No dia 4 (domingo), último dia do Fórum das Letras em 2018, o Cortejo das Artes toma conta das ruas do Centro Histórico, com a Fanfarra de Ouro Preto e o Bloco do Zé Pereira. A trupe parte do Cine Vila Rica, às 10h, e segue em direção à Igreja do Rosário, que receberá a tradicional “Chuva de Poesia”, idealizada pelo homenageado Guilherme Mansur, às 11h. Nesta edição, serão distribuídos poemas de sua autoria e de Paulo Leminski.

Encerrando o Fórum das Letras, a Livraria Outras Palavras (R. Getúlio Vargas, 239) recebe, a partir das 12h, o sarau de poesia com o lançamento de livros.

ATIVIDADES PARALELAS

Em 2018, o Fórum das Letras será realizado na sequência de importantes encontros acadêmicos promovidos pela Universidade, entre eles a XV Semana de Letras, que ocorrerá entre os dias 29 de outubro e 1º de novembro de 2018, no Instituto de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Federal de Ouro Preto, em Mariana (MG).

O evento, já tradicional do Departamento de Letras da UFOP, acontecerá concomitantemente ao II Simpósio Nacional de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem e reunirá destacados pesquisadores das universidades brasileiras, em áreas que vão dos Estudos Clássicos à Linguística, passando-se pelas áreas de Libras, Ensino e de Tradução, criando condições para aprofundar ainda mais o diálogo entre ensino e pesquisa. ​

Destaca-se, como parte do Ciclo Literatura e Jornalismo, a mesa “Técnica e destruição: testemunho e empoderamento”, com a presença do Prof. Dr. Márcio Seligmann-Silva, professor titular de Teoria Literária / Instituto de Estudos da Linguagem, IEL / Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP. A atividade acontece no dia 29 de outubro (segunda), às 19h, no Auditório do ICHS Mariana (R. do Seminário, s/n - Centro, Mariana).

No dia 31, às será exibido o filme “Árábia”, filmado nos arredores de Ouro Preto e vencedor do Festival de Brasília em 2017. Na sequência, os diretores João Dumans e Affonso Uchôa conversarão com o público presente. A sessão tem início às 19h30, no Sesi Mariana (R. Frei Durão, 22, Mariana).

A Conferência de Encerramento da Semana de Letras acontece no dia 01 de novembro, às 19h, com a presença do professor Leon Kossovitch. Ambos os encontros acontecem no Auditório do ICHS Mariana (R. do Seminário, s/n - Centro, Mariana).

A programação do Fórum das Letras de Ouro Preto é inteiramente gratuita. O evento, realizado pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), tem coordenação geral da escritora e professora Guiomar de Grammont. Este ano, será apresentado pelo Sesc e contará com parceria cultural das Edições Sesc SP, cujos títulos estarão à venda na Livraria Outras Palavras. Mais informações clique aqui.

SOBRE AS EDIÇÕES SESC SÃO PAULO

Pautadas pelo conceito de educação permanente e acesso à cultura, as Edições Sesc São Paulo publicam livros em diversas áreas do conhecimento. Em diálogo com a programação do Sesc, a editora apresenta um catálogo variado, voltado à preservação e à difusão de conteúdos sobre os múltiplos aspectos da contemporaneidade. Além dos títulos impressos, as Edições Sesc vêm convertendo seu catálogo em e-books que podem ser adquiridos em lojas virtuais como Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Amazon, Google Play e Apple Store.