Trabalhando até junho com a temática “A violência no cinema brasileiro”, a 17ª edição do Curta Circuito - Mostra de Cinema Permanente dá continuidade a programação e traz, em sua segunda sessão de 2018, uma pérola da filmografia nacional que permaneceu esquecida por cinco décadas. O longa A Lei do cão (1967) tem direção, roteiro, produção e atuação do falecido Jece Valadão, conhecido como o eterno machão do cinema brasileiro. O filme, que conta ainda com Beth Faria e Adriana Pietro no elenco, será exibido na próxima segunda-feira, dia 19 de março, às 20h, no Cine Humberto Mauro. A entrada é franca, com distribuição de ingressos na bilheteria do cinema 30 minutos antes da exibição.

Com mais de 100 filmes no currículo – seja como ator, produtor ou diretor - Jece Valadão deixou sua marca no cinema nacional. A Lei do Cão, seu terceiro trabalho como diretor, é da primeira fase dele como cineasta. “E já aí está nítido o estilo do realizador, que em filmes posteriores vai alternar entre bons e maus momentos, a cada produção firmando seu nome no cinema policial, uma das páginas mais fascinantes do cinema brasileiro, ainda que seja um baú a ser (re)descoberto ou revisitado, como faz agora esta edição do Curta Circuito”, afirma Andrea Ormond, curadora da mostra.

Segundo Andrea, o filme, rodado em 1967, possui um tipo de violência que seria explorada na década seguinte. “Espécie de redneck paranoia, com jovens transviados e brasileira filosofia de botequim”, completa a curadora. O longa tem fotografia assinada por Antonio Smith e foi produzido por Valadão em parceria com Herbert Richers, que também fez a distribuição do filme.

A Lei do Cão*

Jece Valadão |RJ, 1967, 100'

Após cometer um crime passional, Bebeto, em sua fuga, mata mais quatro pessoas. Escondido em uma cidade, não demora muito para que passe a ser conhecido entre os habitantes. Com medo, eles iniciam uma verdadeira caça às bruxas para tirar a vida do assassino.

*Excepcionalmente, não haverá bate-papo após essa sessão

Jece Valadão

Ator, produtor e diretor, Jece Valadão nasceu em Campos dos Goytacazes, no dia 24 de julho de 1930 e faleceu em 2006, aos 76 anos. Referência icônica na cinematografia brasileira, circulou pelas suas mais diferentes fases – Chanchada, Cinema Novo, Cinema Marginal, Cinema Popular, Era Embrafilme, Cinema dos Anos 80, Retomada. Jece é daqueles atores que, ainda que tenham trafegado também pelo teatro e pela televisão, são essencialmente cinematográficos. Atuou e produziu tantos filmes importantes, que estampou em seu currículo encontros memoráveis. São inúmeros os momentos luminosos, mas de cara é fácil registrar títulos como Rio 40 Graus e Boca de Ouro, de Nelson Pereira dos Santos, Os Cafajestes, de Ruy Guerra, Mineirinho Vivo ou Morto, de Aurélio Teixeira, Navalha na Carne, de Braz Chediak, Memórias de um Gigolô, de Alberto Pieralisi, O Gigante da América, de Julio Bressane, Eu Matei Lúcio Flávio, de Antonio Calmon, A Idade da Terra, de Glauber Rocha, e Encarnação do Demônio, de José Mojica Marins.

(trecho retirado do texto de Adilson Marcelino para o Curta Circuito)

 

Curta Circuito

Durante sua trajetória, iniciada em 2001, a Mostra de Cinema Permanente, que exibe exclusivamente filmes nacionais, sempre com entrada franca, reuniu um público de mais de 74 mil pessoas, que estiveram presentes nas quase cinco mil sessões apresentadas. A mostra é dirigida por Daniela Fernandes, da Le Petit Comunicação Visual e Editorial, com curadoria assinada pela crítica de cinema e autora do blog Estranho Encontro, Andrea Ormond. É referência em Minas e no Brasil como ação de formação qualificada de público, espaço de reflexão e debates sobre a cultura audiovisual e todos os aspectos que a envolvem, sejam técnicos, narrativos, estéticos, culturais e políticos. O Curta Circuito já atuou em 18 cidades dos estados de Minas Gerais, São Paulo, Bahia e Pará e atualmente está presente em Belo Horizonte - onde tem como “sede” de suas exibições o Cine Humberto Mauro - e nos município mineiros de Montes Claros e Araçuaí. Já passaram pelo projeto convidados como Nelson Pereira dos Santos, Zé do Caixão, Sidney Magal, Othon Bastos, Antônio Pitanga, Nelson Xavier, Darlene Glória entre outros. O Curta Circuito atua também na preservação e memória do cinema brasileiro, trabalhando na restauração de filmes, em parceria com a Cinemateca do MAM-RJ. A iniciativa recebeu Mention do D'Hounner em Milão, em 2013, pela restauração do filme “Tostão, a fera de Ouro”, da década de 1970.

------

Confira a programação completa das sessões de Belo Horizonte, Montes Claros e Araçuaí no site oficial da mostra www.curtacircuito.com.br

-------

SERVIÇO

Filme | A lei do Cão (direção: Jece Valadão)

Data | 19 de março (segunda-feira)

Horário|20h

Local | Cine Humberto Mauro | Palácio das Artes - Av. Afonso Pena, 1537 - Belo Horizonte

Entrada gratuita, sujeito a lotação do espaço

Informações: 31 3226-9625

Ingressos deverão ser retirados meia hora antes da sessão

Classificação Indicativa| 18 anos

Capacidade da Sala | 129 lugares

O Curta Circuito é realizado com os recursos das Leis: Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Governo de Minas Gerais e da Lei Municipal de Incentivo à Cultura - Fundação Municipal de Cultura, Prefeitura de Belo Horizonte. Patrocínio: Cemig, Banco BDMG, Tecar Fiat e Sambatech. Apoio Cultural: Fundação Clóvis Salgado. Realização: Le Petit.

Para informações adicionais, entrevistas e fotos

Assessoria de Comunicação Curta Circuito | Bárbara Prado – (31) 9.9192-1203

http://www.curtacircuito.com.br/