Mariana vai ganhar um grande centro cultural para acolher a biblioteca do escritor Fernando Morais, nascido na cidade. Terreno pertencente ao Estado e vinculado à Secretaria de Estado de Cultura foi cedido à Academia Marianense, por meio de convênio firmado ontem pelo secretário Angelo Oswaldo e a presidente da entidade, professora Hebe Rolla Santos. A Academia e o Instituto Fernando Morais vão viabilizar a construção do centro cultural no terreno que pertenceu ao primeiro Diogo de Vasconcelos, no século XVIII.

O secretário Angelo Oswaldo destacou a importância de Mariana e Minas Gerais receberem o acervo Fernando Morais. “A Universidade do Texas e várias instituições paulistas haviam manifestado interesse até na aquisição da coleção bibliográfica constituída pelo escritor, mas Fernando Morais fez questão de doa-la à primeira cidade mineira, sua terra natal. É um presente admirável a Mariana e ao Estado”. Localizada em pleno centro histórico da cidade, a área receberá a edificação, na qual serão realizadas atividades culturais variadas e funcionará, aberta ao público, a biblioteca de Fernando Morais. As obras devem começar no início do ano.

Angelo Oswaldo e Hebe Maria Rôla Santos assinam convênio

Participaram do ato, na Secretaria de Estado de Cultura, a presidente da Casa de Cultura - Academia Marianense de Letras, Hebe Maria Rôla Santos, o vereador Cristiano Vilas Boas, representando a Câmara marianense, Reinaldo Morais, irmão de Fernando Morais, os acadêmicos Rafael de Moura Santos e Anísio Chaves, a historiadora Patrícia Silveira, a superintendente Amaure Klausing e a diretora Sílvia Sanguinete.

Fernando Morais

Ex-secretário de Estado da Educação e da Cultura de São Paulo, o jornalista e escritor Fernando Morais é um dos intelectuais mais atuantes do Brasil. As biografias de Assis Chateaubriand, Olga Benário e Paulo Coelho, de sua autoria, figuraram entre os livros mais vendidos do país. Recentemente, ele lançou “Os Últimos Soldados da Guerra Fria”, sobre a atuação de agentes cubanos nos Estados Unidos.