O Sempre Um Papo e a Cemig recebem a jornalista e escritora, Isabela Noronha, para o debate e o lançamento do livro “Resta Um” (Editora Companhia das Letras). Em seu romance de estreia, a autora conta o desespero e a angústia de uma professora universitária com o misterioso desaparecimento de sua única filha. Através de uma sofisticada trama psicológica que cresce a cada momento, o leitor vivencia a luta da mãe na busca de uma pista sobre o paradeiro da menina. O evento ocorre no dia 23 de novembro, segunda-feira, às 19h30, no MAO – Museu de Artes e Ofícios –  Praça Rui Barbosa, 600, Centro – Belo Horizonte, com entrada gratuita.

Em “Resta Um”, Lúcia é uma professora respeitada no curso de matemática da Universidade de São Paulo e sempre enxergou a vida por meio dos números. Porém, quando sua única filha desaparece sem deixar rastros, seu pensamento racional será abalado para sempre. Anos depois do sumiço da menina, a vida da professora desmoronou, ainda que, em nenhum momento, ela tenha perdido a esperança de encontrar a filha, Amélia. Sem a ajuda do ex-marido ou da polícia, ela luta como pode. E eis que a chegada de um e-mail parece conter, por fim, a pista certa de alguém que conhece o paradeiro da menina. Com um ritmo incrível e uma escrita cristalina, a autora deixa o leitor absolutamente envolvido nessa trama misteriosa e angustiante.

ISABELA NORONHA nasceu em Belo Horizonte, em 1980, e vive em São Paulo. É jornalista e mestre em criação literária pela Universidade Brunel, em Londres, onde recebeu o Curtis Brown Prize pelo projeto de Resta um. Publicou também o livro infantil Adeus é para super-heróis, vencedor do prêmio Barco a Vapor em 2013, pelas Edições SM.

Sempre Um Papo

Criado pelo gestor cultural e idealizador do Fliaraxá, Afonso Borges, há 29 anos, o Sempre Um Papo” promove a difusão do livro e seu autor através de lançamentos de livros antecedidos por debates informais. Já atuou em mais de 30 cidades brasileiras, tendo realizado mais de 5.000 eventos com um público presente estimado em 1,6 milhão de pessoas. O encontro presencial converge para a televisão, sendo exibido, aos sábados e domingos, na TV Câmara. Desdobra-se para a série de DVDs educativos “Cultura Para a Educação”, em sua sexta edição, distribuído para mais de 6.000 escolas brasileiras, gratuitamente. E no site www.sempreumpapo.com.br, estão disponíveis mais de 300 programas com escritores, além de diversos seminários. Com o programa “Ler Convivendo”, em vigor há 8 anos, adota bibliotecas comunitárias em Minas Gerais ao promover 3 atividades: doação de livros, palestras com escritores e capacitação de voluntários. Há dois anos Afonso Borges conduz, na Rádio CBN Belo Horizonte, o boletim “Mondolivro – o blog sonoro da literatura”.

O Museu de Artes e Ofícios – MAO é um espaço cultural que abriga e difunde um acervo representativo do universo do trabalho, das artes e dos ofícios no Brasil. Um lugar de encontro do trabalhador consigo mesmo, com sua história e com seu tempo. Iniciativa do Instituto Cultural Flávio Gutierrez – ICFG, o MAO preserva objetos, instrumentos e utensílios de trabalho do período pré- industrial brasileiro. Criado a partir da doação ao patrimônio público de mais de duas mil peças pela colecionadora e empreendedora cultural Angela Gutierrez, o Museu revela a riqueza da produção popular, os fazeres, os ofícios e as artes que deram origem a algumas das profissões contemporâneas. Aberto ao público desde janeiro de 2006, o MAO está instalado na Estação Ferroviária Central de Belo Horizonte, ao lado da parada do Metrô, por onde transitam milhares de pessoas diariamente. É, assim, um espaço coerente com a natureza da coleção, bem próximo do trabalhador. Para abrigar o Museu foram restaurados dois prédios antigos, de rara

Beleza arquitetônica, tombados pelo patrimônio público. Sua implantação motivou requalificação da Praça da Estação, marco inaugural da cidade.

Serviço:

Sempre Um Papo com Isabela Noronha

Data:  23 de novembro de 2015, segunda-feira, às 19h30, com entrada gratuita

Local: MAO – Museu de Artes e Ofícios –  Praça Rui Barbosa, 600, Centro – Belo Horizonte.