Entre os dias 28 de setembro e 01 de outubro, o CCBB Belo Horizonte - Praça da Liberdade, 450 – Funcionários, recebe a terceira edição do Festival Musimagem, primeiro festival dedicado exclusivamente à música para a imagem. Neste ano, o festival conta com a presença do compositor americano Laurence Rosenthal, responsável por trilhas de filmes Cult como “Becket”, blockbusters como “Meteoro” e “Fúria de Titãs”. Além de séries estilo superprodução como “O Jovem Indiana Jones”, trabalhando com George Lucas e Steven Spielberg durante as três temporadas, “A Ilha da Fantasia”, entre outras. O evento, patrocinado pelo Banco do Brasil, contará com concertos, workshops, palestras, debates, mostras e grupos de trabalho. Todas as atividades são gratuitas. Para atrações que acontecem no Teatro I é necessário retirar senha de acesso com uma hora de antecedência. Já as inscrições para grupos de trabalho, workshops, palestras e mesa de debate que acontecem no Teatro IIdevem ser realizadas por meio do site festival.musimagembrasil.com.

A grande novidade desta edição fica por conta da criação do Troféu Remo Usai de Música para Imagem. Remo Usai é um compositor de extrema importância para o audiovisual, fez “Assalto ao Trem Pagador” e “Boca de Ouro”, por exemplo, dentre tantos outros trabalhos. Segundo Marcos Souza, curador do Festival, o prêmio vem justamente contemplar nomes importantes da história da música original para imagem. “O premiado deste ano será o compositor Waltel Branco, de Curitiba, com 88 anos, que estará presente à premiação. Ele é autor de trilhas para novelas como O Bem Amado, Tititi, Feijão Maravilha e diversos outros projetos.”

Outra novidade desta edição é a Mostra Musimágica Infantil, uma mostra de cinema infantil, com a exibição de diversos filmes deste segmento e a presença dos compositores das trilhas sonoras, explicando como foi o processo de criação dessas músicas.

Popularmente conhecida como trilha sonora, a música composta para o audiovisual sempre esteve presente no cinema. Muitas vezes ela define o sucesso ou não de um filme, sendo responsável por manter o suspense em determinadas cenas, ou trazer emoção em um momento de tensão. A música e a imagem são companheiras de longa data, mas os compositores brasileiros que realizam esse trabalho quase sempre têm pouquíssima visibilidade. O objetivo do festival é justamente divulgar o mercado de composição no Brasil e no mundo. “A intenção é trazer o universo da música para a imagem cada vez mais pra perto do público, ampliando a visibilidade dos músicos que atuam nesta área, incentivando novas pessoas a mergulharem no tema”, explica Souza.

O evento é aberto ao público profissional e entusiasta, já que música para cinema, TV, comerciais, videogames, habita o imaginário popular. O Festival Musimagem é idealizado e produzido pela Musimagem Brasil, Associação Brasileira de Compositores de Música para Audiovisual e tem curadoria do pianista Marcos Souza, e do compositor Tim Rescala.

 

SOBRE A MUSIMAGEM BRASIL

A Musimagem Brasil é a Associação Brasileira de Compositores de Música para Audiovisual.

O objetivo principal da associação é revelar ao público, dar destaque e valorizar o papel do músico que compõe para o audiovisual, o que o torna co-autor da obra final. Fundada em 2008, a Musimagem Brasil tem diversos projetos culturais e eventos musicais em desenvolvimento, e encontra-se em constante crescimento.

 

PROGRAMAÇÃO

28/9 (Quinta-Feira) – Abertura do Festival

19h30 – Teatro I

Concerto dos Associados da Musimagem Brasil e entrega do Troféu Remo Usai Musimagem Brasil 2017

Entrega do prêmio ao ganhador deste ano, o compositor Waltel Branco.

"Waltel Branco, maestro, arranjador e instrumentista (Paranaguá, 22/11/1929) compositor erudito e popular, ajudou a criar as estéticas da MPB, Bossa Nova, Jazz-Samba e Jazz-Fusion desde os anos 50. Lançou mais de 20 discos, cultuados pelas experimentações e virtuosismo, sendo o álbum Meu Balanço um dos discos com cotação mais alta do mundo em bancas de colecionadores segundo sites como Discogs. Foi arranjador, compositor e diretor musical das trilhas de novelas e vinhetas da rede Globo por quase três décadas, dentre elas, Irmãos Coragem, Escrava Isaura, O Bem Amado, Selva de Pedra e aberturas de Jornal Nacional, Os Trapalhões, Sitio do Pica Pau Amarelo, alem de festivais e especiais musicais da emissora, tendo ajudado a criar a imagem da musica brasileira que correu o mundo em mais de 100 países através de novelas e filmes." (Manoel J de Souza Neto)

(Distribuição de senhas uma hora antes)

Participação dos músicos: Gilson Peranzzetta; Ivan Lins; Ricardo Leão; Rodrigo Marsilac; Marion Lemonnier; Alberto Rosenblit e Zé Neto; Noel Fernandes; Marcos Kuzka

29/9 (Sexta Feira) - Convidado Internacional

10h – Teatro II

Grupo de Trabalho

A Música na Educação

Mediador – Ricardo Petracca

(Inscrições pelo site: festival.musimagembrasil.com)

10h00 - Teatro I

Mostra Musimágica Infantil

Filme “Brasil Animado” – Diretora: Mariana Caltabiano. Trilha Sonora: Alexandre Guerra, duração 2h40

15h - Teatro II

Workshop/ Palestra

Tecnologia a Serviço da Música

Pedro Milman e Ricardo Gomes

(Inscrições pelo site: festival.musimagembrasil.com)

16h – Teatro II

Workshop/ Palestra

Música para Jornalismo

Marion Lemonnier e Mauro Perelman

(Inscrições pelo site: festival.musimagembrasil.com)

17h – Teatro II

Workshop/ Palestra

Direitos Autorais no Audiovisual

Palestrante: Alexandre Guerra e Mario Di Poi

(Inscrições pelo site: festival.musimagembrasil.com)

19h30 – Teatro I

Palestra Musical

Laurence Rosenthal (Detroit)

Laurence Rosenthal, nascido em Detroit, Michigan, após se formar na Eastman School of Music foi para Paris estudar com Nádia Boulanger. Lá ele conheceu e se aproximou da vanguarda de compositores do início do século XX, conhecendo e convivendo com importantes nomes da música de época como Igor Stravinsky, Leonard Bernstein e mesmo Heitor Villa-Lobos. Durante a segunda guerra, foi nomeado ''Compositor oficial dos Documentários da Força Aérea Americana'', posto onde possuía uma orquestra à sua disposição para gravação e muita liberdade criativa.

Compondo também para a televisão, Laurence recebeu o prêmio EMMY de melhor trilha sonora 7 vezes. Paralelamente ao seu trabalho com música para imagem, Laurence sempre manteve uma prolífica carreira como compositor e regente de música de concerto, e teve composições sinfônicas estreadas por Leonard Bernstein, Erich Leinsdorf e a Rochester Philarmonic.

Entre seus diversos trabalhos, filmes como O Sol Tornará a Brilhar (1961), O Milagre de Anne Sullivan (1962), Becket, O Favorito do Rei (1964), A Ilha do Dr. Moreau (1977), O Retorno do Homem Chamado Cavalo (1976).